terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Eu era uma folha branca de papel (Sarah Tatiana Oku)


Contaram-me que, Há milhares de anos, um grande pássaro de fogo voou sobre a Terra e aqui jogou uma semente.
Diziam que a semente era parte do próprio pássaro de fogo.

Eu, particularmente, nunca acreditei nessa história.

Na época em que ouvi isso, eu era uma folha branca de papel.

Um dia, uma criança me encontrou, dobrou-me algumas vezes e jogou-me no ar. Eu saí voando...

Algumas crianças que estavam ali perto disseram que eu era um aviãozinho...
Outras, disseram que eu era um foguete...

Todas queriam brincar e duas crianças acabaram brigando por mim...
Uma saiu chorando...
A outra saiu machucada...

Por que todos sofriam?
Por que não me viram como a folha branca de papel que eu era?
E eu me perdi no ar...

Outra criança me encontrou, amassou e disse que eu era uma bola...
Da mesma forma, vi dois seres brigando e se magoando por uma bola...
E eu, que nem uma bola era... Não entendia...

Por que todos sofriam?
Por que não me viram como a folha branca de papel que eu era?

Porque me viram com formas e nomes, gerando mais uma vez o desejo, o apego e o sofrimento...

E fui abandonada no chão...

Novamente fui encontrada por uma pessoa apaixonada que me abriu e escreveu um poema de amor a seu namorado...
Mas este não a amava...
Ele disse que eu era apenas um poema idiota...
Ela disse que eu era tudo que ela sentia...

E mais uma vez, viram-me da forma errada...
Magoando-se e ferindo-se...

Eles brigaram por mim.
Pelo que viam, ou achavam que viam...
O poema...
E todo amor daquela moça...
Que eu não era...

A moça saiu chorando triste e humilhada...
O rapaz saiu ignorando os sentimentos de outro ser, sorrindo de forma sarcástica...

E eu não entendia...

Por que todos sofriam?
Por que não me viram como a folha branca de papel que eu era?

Porque me viram como um poema...
Como um sentimento...
Gerando o desejo, o apego e o sofrimento...

Então, pensei:
Todos se magoam porque me veem da forma errada...
Eu sou uma folha branca de papel, mas todos os seres me dão formas,
Depois, me dão nomes,
Logo em seguida, se apegam a essas formas e nomes,
Brigam e machucam-se por isso...
Nesse momento, percebi que eu também sofria...
E tentei entender, pela primeira vez, a origem do sofrimento...

Mas,
Eu sou apenas uma folha branca de papel.
Então,
Por que sofro?

Porque me reconheci como um nome: “folha branca de papel”
Criei uma forma e
Desejei ser reconhecida por ela...
Apeguei-me a essa forma e a esse nome...
E isso me gerou o sofrimento...

Busquei minha origem:
Do papel á celulose,
Da celulose á arvore,
Da árvore á semente...

Só então, lembrei-me de minha origem,
Sem me apegar a ela,
E sem deseja-la...
Eu estava livre e já não sofria...

Por quê?
Eu era o grande pássaro de fogo que trouxe uma semente á Terra.
Bom, eu sou e não sou o grande pássaro de fogo...

Por quê?

Porque pássaro de fogo é somente um nome...